Eu cresci na parte sul da África, Zâmbia. Como muitos outros africanos, fui criado em uma família extensa. Em nossa casa de três quartos, minha avó, uma professora, abrigava tios, tias e primos de vilas remotas. Quando éramos muitos para ocupar os quartos, o chão da sala se transformou em espaços de dormir. Ninguém reclamou porque cada pessoa foi educada, depois enviada para a cidade, o rodízio continuou até que tantas pessoas, ou pelo menos quantas a avó pudesse pagar, se formassem. Alguns se tornaram médicos, outros banqueiros, um ministro.